computacao quantica tecnologia CIC

O que é tecnologia quântica e por que ela irá mudar o mundo?

A Tecnologia Quântica já está nos primeiros passos de se tornar uma realidade nas principais empresas mundiais, mas o desenvolvimento para utilização comercial ainda depende dos avanços tecnológicos de dois países que estão no TOPO deste desenvolvimento, os Estados Unidos e a China.

Estados Unidos e a tecnologia quântica

No último mês de setembro o Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia dos EUA, divulgou qual será a sua nova estratégia no desenvolvimento do CIC, sigla que vem sendo usada para descrever a Ciência da Informação Quântica.

A divulgação veio através de um relatório com quinze páginas, contendo informações de como o governo de Trump irá fortalecer e desenvolver os avanços na área de tecnologia quântica. Em um resumo bem superficial, o desenvolvimento da tecnologia consiste na troca do atual sistema binário em um sistema que seja baseado em moléculas que sejam capazes de ampliar drasticamente a forma de como é processado as informações na computação tradicional.

Na apresentação do relatório estavam presentes os líderes representantes de empresas como a Alphabet (Google), a IBM e JP Morgan Chase. Na reunião estavam também os representantes da Lockheed Martin,  Northrop Grumman e Honeywell, que fazem parte da indústria aeroespacial e também da defesa americana.

O Governo anunciou o investimento de US$ 249 milhões, para que cerca de 118 projetos sejam vinculados a este desenvolvimento.

China e a tecnologia quântica

N China o governo de Pequim também está a muito interessado no desenvolvimento da tão falada tecnologia quântica. Com um investimento de US$ 10 bilhões, no próximo ano de 2020, está previsto para ser inaugurado o novo Laboratório Nacional de Ciências da Informação Quântica.

Em 2017 a China já havia realizado o lançamento de um satélite que é considerado um satélite quântico de comunicações. Segundo o governo este satélite faz parte de uma rede de comunicações que é, em suas palavras, impossível de ser invadida. Nesta rede somente militares, funcionários de empresas privadas em cargos sênior e servidores públicos, num total de apenas 200 usuários, contam com o devido acesso.

A tecnologia que pode transformar o mundo – Computação Quântica

A capacidade de processamento de dados que está prevista com o desenvolvimento da tecnologia quântica é o que tem motivado a “competição” entre as grandes potências econômicas mundiais.

Segundo muitos estudiosos da área de tecnologia, dominar o desenvolvimento pode significar a transformação do mundo como vemos hoje.

Quando somados a tecnologia de Inteligência Artificial e a Internet das Coisas, a computação quântica se mostra ainda mais poderosa.

Baidu e Google em pró da Inteligência Artificial

Na tecnologia quântica em vez dos tradicionais zero e um, nas sequências de programação e processamento de dados, serão usadas partículas subatômicas, que estão sendo chamadas de bit quântico ou qubit.

Os fótons e elétrons em decorrência de um fenômeno conhecido como superposição podem estar em dois estados ao mesmo tempo. Assim um computador quântico poderá fazer muito mais cálculos do que um computador que utilize a tecnologia convencional.

Segundo o chefe da MIT Technology Review, Martin Giles, um computador de um qubits que receba uma atualização de mais um qubits, terá dois qubits obviamente, porém a potência da capacidade de processamento não será dobrada, ela irá crescer exponencialmente, não dependendo de qualquer constante, multiplicando inúmeras vezes a sua capacidade.

Assim o desenvolvimento da tecnologia quântica irá revolucionar o processamento de dados. Hoje toda a informação é codificada em um sistema binário (os famosos 0 e 1). Com a tecnologia quântica é possível armazenar além dos zeros e uns, outros sistemas menores, como moléculas e átomos únicos. Como essas partículas são minúsculas, elas acabam entrando em conceitos de um mundo quântico.

TI na evolução de uma empresa!

A finalidade da tecnologia quântica será responsável por proporcionar outros benefícios, além da melhora na capacidade de processamento e também nas transmissões, com possibilidades promissoras no setor de ciências, saúde e desenvolvimento de outras tecnologias.

Computador quântico

Sem algo totalmente concreto, pelo menos é o que a grande mídia sabe, o computador quântico é um objeto de desejo de diversos países, onde o desenvolvimento da tecnologia avança, mas ainda está em sua forma “experimental”.

O campo da Ciência da Informação Quântica tem dedicado seus esforços diariamente para desenvolver algo que realmente funcione, para poder ter inclusive uma aplicação comercial.

O computador quântico deverá trabalhar com a superposição dos estados aceso/apagado (zero ou um), além do uso da movimentação das partículas subatômicas no processamento de dados, que deve atingir quantidades que a computação clássica nunca irá alcançar.

Quando a tecnologia chegar a um patamar concreto, os computadores atuais, até mesmo os mais potentes, se tornarão obsoletos.

As empresas americanas que estão a frente do desenvolvimento de um computador quântico, são a Google (Alphabet), a IBM e a Microsoft, onde especialistas destacam os avanços da Google bem promissores. Já na China as empresas que em estágio avançado na tecnologia quântica são o Baidu e a Alibaba.

Entre os principais problemas no desenvolvimento da tecnologia está o número de bits quânticos que uma máquina será capaz de alcançar e como irá funcionar a unidade de resfriamento, já que o sistema exige uma temperatura relativamente baixa para poder operar.

O famoso satélite quântico

Especialistas acreditam que apesar do Google e outras empresas americanas estarem bem avançados no desenvolvimento da tecnologia quântica, ainda sim a China esteja à frente, justamente pelo Satélite Quântico.

No ano de 2016 a China enviou para a órbita da terra o primeiro satélite de comunicações quântico, onde em 2017 o país declarou que ele foi utilizado para estabelecer uma comunicação criptografada, onde ninguém é capaz de decifrar.

Com isso o governo provou que é possível fazer, mas ainda não há uma viabilidade na aplicação em escala comercial/industrial.