google wings drone entregas

Entregas com Drones do Google é autorizado nos EUA

Estamos vivendo em uma nova era comercial, principalmente com relação às entregas. Diversos aplicativos surgem todos os dias e gigantes do comércio eletrônico buscam alternativas sua rede de distribuição.

E a entrega por drones já está em um estágio bem avançado, inclusive sendo testado em algumas regiões da China, Austrália e outros países do oriente. Mas o ocidente as agências de aviação estão ainda estudando métodos de como classificar e instituir regras sobre este tipo de transporte.

Nesta semana a empresa Wing Aviation, uma subsidiária da Alphabet, empresa de tecnologia do Google, recebeu um aval importante para os avanços nas entregas feitas por drone. A empresa recebeu a autorização da Agência Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) para fazer suas primeiras entregas no estado da Virgínia, já a partir do último mês de 2019.

A Wing com esta notícia passou a ser a primeira empresa a obter o certificado de remessas aéreas nos Estados Unidos, o que poderá inclusive beneficiar e esquentar o mercado nos próximos anos.

Drones e a nova era das entregas

É certo que os drones devem revolucionar o mercado das entregas, mas era necessário avaliar todas as “consequências” antes de uma possível liberação, principalmente com relação a segurança.

A Agência de Aviação americana concluiu que as operações cumprem os requisitos mínimos de segurança, levando em consideração inclusive os voos realizados pela Wing na Austrália, que já realiza entregas de remédios e alimentos à comunidades mais isoladas.

Com o aval da Agência, a Wing já pode iniciar os serviços de entrega domiciliar, inclusive dispensando que o drone esteja no campo de visão do controlador e o voo sobre pessoas do estado da Virgínia.

Projetos

A Wing está com uma parceria com a empresa de Aviação do Atlântico Médio, onde o início do projeto será feito através da unidade de pesquisas da Universidade Virginia Tech.

A secretária de transportes dos EUA, Elaine Chao, em entrevista disse que a aprovação da Wing no mercado de entregas é um passo importante na integração dos drones na economia americana. Segundo ela, a segurança é a prioridade número um, onde deverá trabalhar sempre a frente da evolução tecnológica, até que chegue no seu ápice.

O certificado fornecido pela FAA terá validade de dois anos. Nele está descrito que os pilotos devidamente capacitados poderão operar até cinco drones ao mesmo tempo, porém as entregas deverão ser feitas somente durante o dia.

Outras exigências são com relação ao transporte de materiais perigosos e os voos em baixa altitude, onde ambos estão proibidos.

Amazon na briga

Nos Estados Unidos a Wing sai na frente da Amazon, que também está muito interessado na realização de entregas com este tipo de tecnologia. A empresa de Jeff Bezos diz já ter realizados testes de entrega, mas ainda não concluiu os estudos para colocar em prática o delivery.