cloud diferencas google amazon microsoft

Como escolher a melhor empresa de Cloud para sua empresa?

AWS, Azure ou Google, qual é a melhor empresa de cloud para o seu negócio? As empresas da Amazon, Microsoft e Google estão entre as três líderes de mercado do ramo de cloud computing. E para que você conheça um pouco mais sobre cada uma delas, preparamos este artigo com algumas das principais informações.

Saiba qual é o significado principal do conceito de cloud, o que significa o termo Serveless, informações sobre a exportação e importação de arquivos, datacenters, valores médios que são cobrados por máquina virtual e outras funções sobre estas três gigantes da nuvem.

Confira também os sites oficiais da AWS, Azure e Google Cloud para que você tenha um atendimento personalizado sobre eventuais dúvidas.

Qual o significado do conceito de cloud?

Cloud computing (Computação em nuvem) é um conceito que se refere ao uso de capacidade de armazenamento, memória e também de processamento, através de servidores e computadores que estão ligados remotamente através da internet. Toda a funcionalidade é feita através de servidores, onde aquele que possuir o serviço poderá acessar as informações e desfrutar das vantagens do mesmo, em qualquer região do planeta.

No cloud não é necessário instalar softwares ou guardar arquivos. Tudo fica disponível através da internet, sendo necessário apenas possuir um computador básico para comandar os processos com apenas alguns cliques.

O uso de servidores Cloud vem se tornando uma prática cada vem mais comum entre as empresas, pois além das vantagens de acesso a informações em qualquer local do mundo, o serviço é mais econômico do que um projeto físico dentro da empresa. Com o cloud o empresário não precisa investir em máquinas com alta capacidade de processamento, gasta menos energia, não precisa de um espaço físico na empresa totalmente dedicado para o servidor, entre diversas outras aplicações que geram um déficit orçamentário na empresa.

Entenda o termo Serverless

Até hoje muitas empresas contam com servidores físicos que precisam de manutenção e disponibilidade de um funcionário para ficar a mercê das máquinas num plantão de 24h por dia. Quando um destes servidores sofre alguma variação prejudicial é necessário que o técnico dedique um bom tempo para colocar a máquina central em ordem. É preciso horas e até mesmo dias para corrigir as falhas, trazendo diversos prejuízos para as empresas.

É com base na situação acima que o termo Serveless foi criado. Já pensou não ter que depender de um servidor físico localizado na sua empresa, que necessita de manutenções constantes e que ainda corre o risco de deixar o seu negócio fora do ar por falhas técnicas? As gigantes Amazon, Microsoft e Google vem trabalhando duro para tirar estes problemas das “costas” de sua empresa, com o serviço de Cloud Computing.

A arquitetura serverless vem sendo muito buscada nos últimos anos, justamente pelas dores de cabeça que um servidor proporciona no dia a dia. Com as grandes empresas de cloud, você só terá o trabalho de pagar o aluguel do serviço e não se preocupar com mais nada.

É preciso lembrar porém, que em alguns casos a utilização mais viável é ainda o servidor próprio. Por isso contrate um gestor de TI para verificar quais são as reais necessidades de sua empresa.

banner inovacao encript

As três maiores empresas de Cloud da atualidade, Google, Microsoft e Amazon AWS

As três gigantes do mundo de armazenamento na nuvem, estão investindo muito em novas tecnologias para hospedar os aplicativos do futuro e diversos serviços como o gerenciamento a distância de softwares. O serverless destas empresas, contam atualmente com uma linguagem que acaba ligando todos os recursos disponíveis da nuvem através de um painel de fácil entendimento por parte de seus contratantes.

Inclusive a implementação e o mapeamento de funções através de Inteligência Artificial, vem sendo algo inovador e muito promissor na área, tudo para garantir a melhor experiência com os os servidores na nuvem.

Amazon, Google e Microsoft são três das maiores empresas que estão lutando para hospedar aplicativos do futuro, aqueles que eles esperam que sejam gravados em sua API serverless e gerenciados através de sua camada de automação. Se as plataformas fizerem o que você quer – e os novos modelos são bem gerais – elas podem ser a maneira mais simples e rápida de criar seu próprio aplicativo web multibilionário. Você escreve apenas os bits cruciais da lógica e a plataforma lida com todos os detalhes.

Conheça um pouco sobre a Amazon AWS, Google Cloud e Microsoft Azure.

  • Amazon AWS

A Amazon AWS foi a primeira empresa a oferecer serviços na nuvem, onde sua história começa em 2006. Primeiro ela fornecia serviços de armazenamento específico e então evoluiu para uma oferta de máquinas virtuais, baseada no sistema Xen. É a atual líder em ofertas de serviços, com uma grande variedade para pequenas, médias e grandes empresas.

Os datacenters da Amazon são ao todo 42 disponíveis, dos quais são bem distribuídos pelo mundo, contando inclusive com uma opção no Brasil.

Com relação aos preços das máquinas virtuais, na Amazon encontramos ofertas mensais que estão a partir de US$ 4,32* para máquinas de 1 processador (T2 Nano) e 512mb de memória, com hospedagem nos Estados Unidos. O preço da hospedagem no Brasil pode superar os US$ 7*.

  • Google Cloud

As aplicações da Google Cloud em serviços na nuvem, teve o seu início em 2008. Em 2013 a empresa passou a oferecer o serviço Google Compute Engine, onde são armazenadas máquinas virtuais. Por ter demorado um pouco para entrar neste ramo, a Google está atrás da Amazon e da Microsoft no mercado atual, com uma rede bem menor de empresas parceiras, mas com seus estudos e avanços, pretende logo alcançar o topo.

A Google não conta com Datacenter no Brasil, o que deixa os seus serviços mais limitados se compararmos com seus concorrentes. Ao todo são 6 datacenters.

A menor Virtual Machine da Google, com processador único e 0,6gb de memória ram custa a partir de US$ 4,49* por mês.

  • Microsoft Azure

O que atrai diversas empresas para o Microsoft Azure é a simplicidade em seus serviços. A oferta que foi inaugurada em 2010, oferece para seus clientes máquinas virtuais com plataforma Intel que atendem a praticamente 100% das necessidades do mercado. A Azure conta com um ótimo marketplace e serviços específicos para cada perfil de cliente.

A Azure conta com nada menos do que 30 datacenters disponíveis, a segunda maior em quantidade, estando espalhados também por boa parte do mundo, inclusive no Brasil. A grande procura pelos serviços Cloud da Microsoft é porque os clientes podem desfrutar do Office 365 em suas máquinas, já com as licenças inclusas. A rede de parceiros da empresa também é gigantesca, o que trás uma maior credibilidade.

Diferenças entre cloud privado, público e híbrido

A Azure oferece um serviço mais caro se comparado com suas concorrentes, porém a menor máquina virtual conta com um processador, 0,75gb de ram e um disco de 20gb para suas aplicações, além do Office. A hospedagem mensal nos EUA está a partir de US$ 13,39*. Aqueles que queiram a hospedagem no Brasil por conta do suporte em português, irá pagar valores que superam os US$ 16*

 

*Valores do primeiro trimestre de 2018.

Exportação e importação VM

Todas as gigantes do Cloud contam com ferramentas de exportação e importação específicas. A Azure oferece o serviço através do PowerShell e da ferramenta Site Recovery, onde é possível migrar dados já existentes em outras nuvens para o serviço da Azure.

A Amazon e a Google contam com um sistema mais básico, onde toda a importação e exportação de máquinas virtuais poderá ser feita através de um prompt de comando no painel do contratante.

Após este breve resumo qual devo escolher?

Nós aconselhamos que a escolha seja feita pelo profissional de TI de sua confiança, só ele saberá lhe informar qual a melhor opção para sua empresa. Algumas contam com um suporte mais caro do que outras, a quantidade de GB do disco, processador, memória RAM, da máquina virtual mínima pode ser muito maior do que a real necessidade de sua empresa. Por isso é preciso realizar uma avaliação minuciosa que vai muito além dos valores.